AV Comunicação | “Onde foi parar o bom jornalismo?”, por Adriana Vasconcelos
Anterior
Fechar
Próximo

“Onde foi parar o bom jornalismo?”, por Adriana Vasconcelos

27 de janeiro de 2017

Diplomados ou não, os jornalistas na ativa aprendem cedo que não dá para publicar denúncias contra alguém sem ouvir o “outro lado”.

Por algum tempo, alguns aliados dos governos petistas tentaram deturpar essa regra antiga e passaram a acusar a mídia de golpista pelo simples fato de publicar o andamento de denúncias investigadas pela Polícia Federal e Ministério Público. Isso, independentemente de os autores dessas reportagens ouvirem ou não o “outro lado”.

Agora é fato também que alguns coleguinhas têm driblado essa antiga regra do jornalismo, de ouvir o “outro lado”.

Ouvir o “outro lado” não é simplesmente mandar ligar ou, em tempos digitais, mandar um email ou whatsapp. Sim, esse é o caminho para tentar contato com o “outro lado”, mas ele não se encerra aí.

Caso não consiga que o outro lado atenda sua ligação, é preciso ter certeza que o outro lado viu sua mensagem ou leu seu email.

Outro detalhe que tem sido ignorado por muitos coleguinhas: é preciso fixar um prazo mínimo para que o outro lado se manifeste e tome conhecimento sobre o assunto que o envolve.

No entanto, tem sido cada dia mais frequente jornalistas procurarem o “outro lado” em cima da hora, seja a minutos do fechamento do jornal ou telejornal ou só após publicarem a denúncia.

Pior, é dar a desculpa de que o “outro lado” foi procurado e não se manifestou, isso depois de oferecer ao “outro lado” apenas dez minutos para se manifestar.

Isso não é honesto.

Por isso, deixo aqui mais uma vez o alerta sobre os rumos da minha profissão e uma pergunta: onde foi parar o bom jornalismo?

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado

Aguarde...