AV Comunicação | “Uma campanha somente offline venceria uma campanha 100% digital?”, por Olavo Soares
Anterior
Fechar
Próximo

“Uma campanha somente offline venceria uma campanha 100% digital?”, por Olavo Soares

18 de outubro de 2016

Em um confronto entre uma campanha eleitoral feita apenas na TV aberta e a outra 100% na internet, quem venceria a disputa?

O consultor americano Bud Jackson, que trabalha para o Partido Democrata, não tem dúvida que o primeiro modelo se sairia melhor – mesmo com o cenário atual, em que internet e redes sociais já deixaram de ser “novidade” há muito tempo, e estão cada vez mais presentes na vida de todos.

A opinião de Jackson tornou-se pública após ele e o também consultor Matthew Dybwad baterem boca no Facebook, em uma discussão que a revista Campaigns & Elections tornou pública. Tudo começou quando Dybwad considerou um desperdício de dinheiro a veiculação, em rede nacional, de uma propaganda sobre um plebiscito que acontecerá no mês que vem na Califórnia. A propaganda passou no intervalo de um jogo de beisebol de um time de Los Angeles – atingindo, portanto, um grande número de californianos, mas também muitas pessoas que nada têm a ver com a questão.

Jackson respondeu à provocação de Dybwad, os dois começaram a discutir sobre a eficiência dos anúncios, e então Jackson fez o desafio derradeiro: “Eu topo conduzir uma campanha 100% na TV contra uma 100% digital e ver quem ganha”.

A confiança de Jackson em seu modelo deixa um recado importante para nós, brasileiros. Se nos EUA – país muito mais avançado e incluído digitalmente do que o nosso – um consultor banca de modo incisivo a eficiência de um modelo tradicional, será mesmo que poderíamos, aqui, deixar de lado elementos da campanha que estão distantes da internet? Notem que não está se dizendo para desprezar o digital, mas sim para dar a ele o peso devido, nem maior e nem menor do que realmente merece. Enquanto muitos creem cegamente na eficiência das novidades, concorrentes colhem resultados com o arroz-com-feijão que tanto resultado deu no passado. A somatória entre todos os modelos possíveis permanece como o melhor camiho a ser seguido.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado

Aguarde...